FILME PELÉ ETERNO

FILME PELÉ ETERNO
A prova definitiva de quem é o melhor jogador de sempre

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

GOL DE PELÉ CONTRA A SUÉCIA EM 1958 EM NOVO ÂNGULO

Pelo menos uma vez na vida, todo mundo já viu este gol marcado por Pelé em 1958.



Agora, veja abaixo esta obra de arte por um novo ângulo :-)



Veja também mais abaixo, a reconstituição deste gol em vários ângulos
feita através do computador pela TV Globo do Brasil.

Pelé chuta para marcar o gol contra a Suécia
Naquele 29 de junho de 1958, o Brasil venceu a Suécia por 5 x 2 e conquistou o primeiro de seus cinco títulos mundiais. Dois gols foram marcados por Pelé, naquela época um menino, com apenas 17 anos. Visto nos dias de hoje, quando cada lance é mostrado em quatro, cinco, inúmeros ângulos diferentes, o chapéu ( lob em inglês) que Pelé aplicou no jogador sueco parece vindo de uma outra era. E veio mesmo. E deixa um gostinho de quero mais. 
Pelé comemora o gol.
Por isso o departamento de arte do jornalismo da TV Globo usou a tecnologia para recriar aquele momento mágico. E assim fica registrado em cores para mostrar o que é ser um gênio do futebol. Em cinco ângulos diferentes. A visão do goleiro, a visão das pessoas nas arquibancadas atrás da baliza e o lance bem de pertinho, cada detalhe da cena foi estudado, desde o equipamento dos jogadores até os movimentos em campo. O trabalho levou dois meses para ficar pronto.

 


terça-feira, 22 de novembro de 2016

Há 47 anos Pelé marcava o milésimo gol! Pelé conta como foi!


Em 19 de novembro de 1969, no mesmo dia em que homem chegou á Lua, Pelé marcou contra o Vasco da Gama, no Maracanã, e dedicou o milésimo gol à todas as crianças!


Nesta mesma data é "comemorada" na cidade de Santos o DIA PELÉ! 
Lei nº 1393 do vereador Gilberto Tayfour, foi aprovada em 22/06/1995 pelo prefeito Davi Capistrano! 



Há 47 anos Pelé marcava o milésimo gol! Pelé conta como foi!
Ao fim do vídeo, uma homenagem ao milésimo gol, um busto foi entregue pelo governador Abreu Sodré em nome do povo paulista em cerimonia realizada no Palácio do Governo!

 

domingo, 30 de outubro de 2016

PELÉ, O NASCIMENTO DE UMA LENDA, O FILME


Depois de Fuga para a Vitória em 1981, onde Pelé, Sylvester Stallone, Michael Caine, Bobby Moore, Osvaldo Ardiles eram as estrelas principais, foi lançado no dia 6 de maio de 2016, no Festival de Tribeca em Nova York nos Estados Unidos, mais um filme de Hollywood onde Pelé é a estrela.

Robert de Niro, um dos diretores do Festival Tribeca e o Rei Pelé no dia do lançamento do filme

A produção é de Brian Grazer, da série ‘24 horas ( com Kiefer Sutherland
e dos filmes Uma Mente Brilhante‘ ( com Russel Crowe ) e 
O Código Da Vinci’( com Tom Hanks
Pelé é um dos produtores executivos. 
O roteiro e a direção ficaram por conta de Jeff e Michael Zimbalist.



O filme conta a história do começo de carreira do jogador, desde sua infância pobre à consagração com a vitória na Copa de 1958. Pelé começou a jogar pelo Santos FC aos 15 anos, pela seleção nacional aos 16, e venceu sua primeira Copa do Mundo FIFA aos 17 anos. 


PARA VER O FILME, CLIQUE AQUI

terça-feira, 25 de outubro de 2016

CARLOS ALBERTO TORRES, descanse em paz ETERNO CAPITÃO

O capitão ergue em triunfo a Taça Jules Rimet em 1970.

Hoje é um dia triste para o futebol. 
Descanse em paz, eterno capitão.

Carlos Alberto Torres, Beckenbauer, Pelé e Chinaglia, os 4 Fantásticos do New York Cosmos.
Carlos Alberto Torres e Pelé, amigos de uma vida e uma dupla de sucesso.
Sempre que jogaram juntos, foram campeões.
Primeiro pelo Santos FC, depois pela Seleção Brasileira e por último pelo New York Cosmos.

Carlos Alberto Torres foi um dos meus ídolos de infância, e está imortalizado na história do futebol mundial pelo gol que marcou contra a Itália na final da Copa do Mundo de 1970 (ver no vídeo abaixo ), onde era o capitão da Seleção Brasileira, além de ser um dos melhores defesas de todos os tempos, pois jogava, e bem, em qualquer das 4 posições defensivas. 

Nas várias edições do videogame FIFA, Carlos Alberto Torres está também imortalizado no CLASSIC XI, uma equipe que reúne alguns dos melhores jogadores de todos os tempos numa só equipe (ver AQUI).

Carlos Alberto Torres na versão do videogame FIFA. O seu "rating" é 93 (ver AQUI).


4 h 

Estou profundamente triste com a morte do meu amigo e irmão Carlos Alberto. Tenho tantas lembranças boas do tempo que passamos juntos, como companheiros de equipe e campeões no Santos FC, na Seleção Brasileira e no New York Cosmos. Tivemos uma parceria vencedora, e mesmo depois do futebol, continuamos muito próximos. Eu envio as minhas sinceras condolências à sua família e que sua alma descanse em paz. Querido Deus, por favor, cuide do nosso "Capitão".
I am deeply saddened by the death of my friend and brother Carlos Alberto. I have so many good memories of our time together as teammates and champions at Santos FC, the Brazil National Team and New York Cosmos. We had a winning partnership, and even after football we remained very close. I send my sincere condolences to his family and may his soul Rest in Peace. Dear God, please take care of our "Capitão".



Hoje é um dia triste para o futebol. 
Descanse em paz, eterno capitão.




domingo, 23 de outubro de 2016

FELIZ ANIVERSÁRIO, REI PELÉ!! 76 ANOS DE VIDA, 58 ANOS DE REINADO

Pelé e a mãe, Dona Celeste.
Hoje, 23 de outubro de 2016, Sua Majestade o Rei Pelé chegou aos 76 anos de idade e aos 58 anos de reinado absoluto, onde até a data de hoje, ninguém conseguiu igualar a sua obra única e incomparável, como disse a Rainha Elizabeth II da Inglaterra.

Três títulos de Copa do Mundo, dois Mundiais de Clubes, 1281 gols. Pelé chega aos 76 anos de idade como o maior nome da história do futebol, como um dos grandes esportistas de todos os tempos, com o status de rei, de lenda, de mito; mas distante das principais decisões sobre os rumos do esporte.

Desde que deixou os gramados, Pelé comemora seus aniversários da mesma forma: de modo discreto, longe dos holofotes. Como nunca foi enquanto esteve em campo. 

Pelé, único jogador da história a
vencer 3 Copa do Mundo FIFA.
Os recordes estabelecidos por ele continuam inalcançados. As três Copas do Mundo conquistadas, por exemplo, não serão alcançadas por nenhum jogador em 2018. Talvez nem mesmo em 2022 ou 2026. É possível que nunca sejam.

Os 1281 gols também são uma marca impensável. Para chegar aos mil gols, de acordo com suas próprias contas, Romário precisou jogar até os 41 anos de idade. Pelé alcançou os 1000 gols aos 29 anos de idade.

A lista de recordes do Rei tem feitos que até hoje parecem inimagináveis. Marcar 58 gols em um Campeonato Paulista (o campeonato do estado de São Paulo ) é um deles. Conquistar uma Copa do Mundo aos 17 anos de idade é outro. 


Tão impressionante que levou o jornalista francês Gabriel Hanot a escrever, ainda durante o Mundial da Suécia, a manchete que coroaria o jovem Edson Arantes do Nascimento: “Surgiu o Rei do futebol”. 

Passados 58 anos desde àquele verão na Suécia, Pelé continua venerado pelo que fez nos gramados de todo o mundo. Nos primeiros anos após a aposentadoria, ele tentou, em vão, indicar sucessores. Por fim, desistiu após ver meia-dúzia deles não atingirem uma fração de sua fama ou habilidade.

Pelé marcou o milésimo gol aos 29 anos de idade.
Com o passar dos anos, mesmo que Pelé não indicasse mais seus próprios sucessores, houve quem o comparasse a uma série de outros craques surgidos ao redor do planeta. Um deles foi Maradona; depois, em seu auge, Ronaldo e Ronaldinho Gaúcho tiveram seu nome comparado ao do Rei. Nos últimos anos, apareceram Messi, CR7 e Neymar.

Aos 76 anos, Pelé já parece cansado de falar do assunto. Sempre em terceira pessoa, tendo como porta-voz a figura de Edson, ele coloca a si mesmo acima de todos os demais. E costuma citar os próprios recordes para corroborar uma visão de que poucos costumam discordar. 

O Comitê Olímpico Internacional
 elegeu Pelé como o
Atleta do Século XX em 1999.

Nos últimos anos, contudo, o maior artilheiro da história do Santos e da seleção brasileira distanciou-se das decisões envolvendo o esporte que ajudou a popularizar em todo o mundo.

O rei do futebol chega aos 76 anos sem nunca ter sido treinador ou presidente de um clube. Sem nunca ter sido candidato a um cargo na CBF ou na Fifa.

A maior e mais duradoura experiência de Pelé em uma posição de comando foi o período como ministro extraordinário do Esporte, entre 1995 e 1998, no Governo Fernando Henrique Cardoso. 

Atualmente, Pelé exerce a função de embaixador da Copa do Mundo. Um cargo que exige prestígio e credibilidade, mas com pouco poder de decisão.

Pelé chega aos 76 anos com seus recordes ainda no topo e sua realeza inquestionável. Ainda que – por escolha do próprio Pelé – seja um rei que reina, mas não governa.



Aos 76 anos de idade, Pelé ainda não foi
igualado ou superado por ninguém.





Tudo já foi dito ou escrito sobre o Rei do Futebol. 
Mas eu ainda acrescentaria mais isto: 

Pelé não tem que provar nada a ninguém, porque os números totais da obra de Pelé nunca foram sequer igualados por ninguém até a data de hoje. 


Por esta razão é que Pelé continua a ser o Rei do Futebol, e enquanto o Atleta do Século XXI não for escolhido, Pelé é até a data de hoje, o maior atleta de todos os tempos.


FELIZ ANIVERSÁRIO 

REI PELÉ!!!!


segunda-feira, 3 de outubro de 2016

Pelé seria até hoje a transferência mais cara da história se tivesse ido para a Itália em 1961

corriere-650x895


A capa da edição dominical do Corriere della Sera de julho de 1961 é impactante. Assim como nos cadernos esportivos de cinco décadas depois, o mercado de transferências dominava a pauta do jornal italiano. E o momento era excelente para tratar do assunto. Luisito Suárez havia quebrado o recorde como contratação mais cara da história, levado do Barcelona à Internazionale por 250 milhões de liras. Um número que podia ter sido superado por Pelé. 

Inter, Juventus e Milan ofereceram 600 milhões de liras pela revelação da Copa de 1958. Algo que o próprio Rei confirmaria anos depois, em entrevista ao Corriere dello Sport: “No início da minha carreira, Angelo Moratti [então presidente da Inter] fez uma proposta, mas o Santos recusou. O clube também disse não à Juventus de Agnelli e, por isso, fiquei no Brasil”. 

O resto da história é mais do que conhecida. O Santos F.C. se aproveitou da situação ganhando taças e mais taças na década de 1960 e a própria Seleção Brasileira foi beneficiada, mantendo o craque a seu serviço durante todo o tempo.
Segundo o jornal La Repubblica, Moratti tinha dinheiro suficiente para dar um lance ainda maior e presentear o esquadrão comandado por Helenio Herrera com Pelé. No entanto, o dirigente temeu que o valor exorbitante pudesse causar repercussões negativas na sociedade italiana. Somente sete anos depois é que a marca seria batida, quando a Juventus deu 650 milhões de liras ao Varese pelo atacante Pietro Anastasi.
Mas qual o valor atualizado da proposta dos italianos por Pelé? Fazendo a correção monetária com base na libra, unidade monetária utilizada nas primeiras contratações, os números parecem irrisórios para os dias atuais: cerca de € 6,9 milhões. Considerando o que já foi gasto nesta janela, Pelé seria apenas a 95º transação mais cara de 2013/14. Léo Baptistão custou ao Atlético de Madrid € 100 mil a mais, por exemplo.
O número não quer dizer que Pelé fosse barato se jogasse nos dias atuais. Longe disso. Ele ajuda a dimensionar a valorização do atleta como mercadoria, bem como do próprio futebol como negócio. 


Entre 1961 e 2009, o recorde de transferência mais cara da história cresceu 1947%, corrigida a inflação . Se Moratti ficou receoso com a polêmica que a oferta que fêz a Pelé poderia gerar, o que ele diria se o Tottenham pedisse 10,95 bilhões de liras – ou € 120 milhões – para ceder Gareth Bale ao Real Madrid?
Pelé aos 18 anos foi cobiçado pelos
grandes clubes europeus.

Todavia, se tivesse mesmo ido jogar na Itália, Pelé até hoje teria uma marca imbatível no mercado de transferências. 

Entre o total pago por Suárez e o oferecido pelo Rei, o recorde de jogador mais caro de todos os tempos daria um salto de 140%. 

O percentual nunca foi alcançado na história – o mais próximo disso é 134%, de 1932, quando Bernabé Ferreyra assinou com o River Plate e ultrapassou a quantia estabelecida pelo Arsenal na compra de David Jack. 

Mostra de que, por mais que o conceito de mercado de transferências tenha se alterado bastante, o reconhecimento do talento é atemporal.

Nota: para ler mais sobre este assunto, clique AQUI

quinta-feira, 29 de setembro de 2016

AIR PELÉ, 100 HEADERS (VÍDEO)

Pelé (1,75m de altura) tinha uma impulsão vertical de 48 polegadas, como Michael Jordan (1,98m de altura)
Pelé, o Rei do Futebol, além de todo o talento que nasceu com ele, era também um atleta exemplar, pela sua dedicação aos treinos.


Pelé saltou mais alto que o defensor italiano e
marcou de cabeça o primeiro gol do Brasil
na final da Copa do Mundo de 1970.
Aos 35 anos, Pelé mesmo sendo famoso em todo o planeta e consagrado como o melhor de todos os tempos, sempre perguntava a Shep Messing (ex-goleiro do New York Cosmos e companheiro de equipe por 3 anos) se depois dos horários dos treinos, Shep poderia ficar mais alguns 20 minutos para que o Rei pudesse "praticar e aperfeiçoar mais qualquer coisa",(ver AQUI.)

Hoje vamos mostrar como o Rei "usava a cabeça" para jogar futebol e marcar gols de todas as maneiras. E também vamos saber porque Pelé que tinha 1,75m de altura, conseguia ter uma impulsão de 48 polegadas ( como Michael Jordan ), saltando mais alto que adversários com 10 ou 20 centímetros a mais do que ele.

E como vocês vão notar no vídeo abaixo, Pelé nunca usava os braços para empurrar o adversário, ou puxar a camisa do adversário e assim, ganhar vantagem aérea sobre os oponentes, como muitas vezes - ou quase sempre - nós assistimos hoje em dia nos jogos de futebol por todo o mundo. 


Veja abaixo, em mais um espetacular vídeo by Bella Kona.
 

domingo, 18 de setembro de 2016

FOTO DO DIA: 1ª CARICATURA DE PELÉ

Esta foi a primeira caricatura de Pelé, feita em 1957 pelo artista Dino
publicada pelo jornal "A Tribuna de Santos", da cidade de Santos.
Note-se o detalhe da fralda ao invés do calção:-)


terça-feira, 13 de setembro de 2016

FOTO DO DIA: Mais uma foto histórica da cerimônia de formatura do Rei Pelé



Para quem não sabe, o Rei Pelé entre 1971 e 1974 cursou a universidade 
e se formou em Professor de Educação Física, como já foi visto AQUI e AQUI.

O recém formado Professor Edson Arantes do Nascimento.
Isto ajuda a explicar porque Pelé não manteve a incrível média de 50 gols por temporada entre 1971 e 1974 :
ele teve que dividir o tempo entre ser pai de família
ser a estrela maior do futebol mundial
e ainda estudar para ser PROFESSOR:-)

sexta-feira, 9 de setembro de 2016

EM 7 DE SETEMBRO DE 1956, HÁ 60 ANOS ATRÁS, PELÉ MARCOU O 1º GOL DA SUA CARREIRA

Pelé aos 15 anos de idade marcou o 1º gol como jogador profissional. Desenho de MÁRIO ALBERTO.

E lá se vão 60 anos daquele 7 de Setembro de 1956 ( ver AQUI). 

Muito, mas muito antes de o placar de 7 a 1 deixar no brasileiro um sabor de piada amarga, esse mesmo número, essa mesma diferença de gols, essa mesma goleada entrava para a história como o começo de dias de glória para o futebol brasileiro. A partir do momento em que o árbitro Abílio Ramos autorizava, aos 30 minutos do segundo tempo, a entrada de um menino de 15 anos no time do Santos para substituir o craque Del Vecchio, começaria a contagem regressiva para o surgimento de um rei.

Pelé, o 3º da esquerda para a direita na fila de baixo, com 15 anos estreiou no time principal do Santos FC
Saiu Del Vecchio para entrar *Gasolina ( *alcunha de Pelé na época)? A correria vai acabar, Zito! E que rapaz é esse tal de Gasolina? perguntou o meio-campista Schank para o companheiro do Corinthians de Santo André, aliviado pela saída do astro santista, autor de dois gols na parcial vitória por 5 a 0 no amistoso em comemoração ao Dia da Independência.

O que Schank não sabia, o que Zito (do Corinthians de Santo André, não o craque santista) não suspeitava, o que o árbitro Abílio Ramos sequer imaginava, muito menos o goleiro Zaluar e o público presente ao estádio Américo Guazelli, é que aquele tal de Gasolina… magrinho, jeito quietinho, na dele, agitaria aquele jogo, o futebol, o mundo a partir dali. Bastaram seis minutos em campo para o Gasolina, como era mais conhecido e chegou a ser anunciado pelo alto-falante, virar o Pelé. E bastaram seis minutos para Schank se transformar na primeira vítima e personagem de uma das três versões contadas para o primeiro gol dos 1.281 celebrados pelo Rei do Futebol.
O primeiro gol de Pelé tem três versões diferentes contadas por 
Schank, Raimundinho e o goleiro Zaluar.
Schank, vítima do drible

Ao longo de uma carreira marcada pelas três Copas do Mundo conquistadas (1958, 1962 e 1970), o bicampeonato mundial pelo Santos, as duas Libertadores, os inúmeros títulos nacionais e regionais, as incontáveis e insuperáveis jogadas de cinema, Pelé virou mito, e esse primeiro gol entrou para a eternidade. Conta aí a sua versão, Schank:
Schank diz que levou drible (Foto: Arquivo pessoal)

– A bola veio da defesa, uma cabeçada ou um chute forte do Hélvio, zagueiro do Santos. Eu lembro bem porque eu estava marcando o Pelé,. eu era o meio-campista mais recuado. Ele pegou a bola no meio de campo e me driblou como quis. Depois passou pelo Zito, e olha que passar pelo Zito não era nada fácil… Aí veio mais um, o Dati… Ele chegou no Zaluar, o goleiro que tinha entrado e era muito bom, e tocou por baixo das pernas dele. Olhei pra cara do Zito e falei logo: “Aumentou a correria! Que garoto é esse Gasolina?” Nunca poderíamos imaginar que aquele menino se tornaria o Pelé, o cara que um dia ia parar uma guerra na África. Sabe o Robinho quando começou? Era como ele, magrinho, perna fininha, rápido… – deu a sua versão o todo orgulhoso Schank, hoje com 81 anos.


Schank, que ao pendurar as chuteiras virou dirigente e após passou a dar aulas em escolinhas, hoje já tirou o pé do acelerador e vive com mais tranquilidade. Fez questão de dizer: não quer, absolutamente, desmentir as outras versões. Contou o que lembra do lance. A bola teria sobrado para Pelé no meio-campo após uma cabeçada (ou chutão) do defensor Hélvio.


Versão diferente da narrada pelo meia Raimundinho, ( na foto à esquerda com Pelé) do Santos. Ele, por sinal, também entrara no segundo tempo. Raimundinho faleceu em 2007, mas antes, em entrevista ao GloboEsporte.com, ao repórter Adílson Barros, em 2006, contou que o gol surgiu após tabelinha entre ele e Tite, outro atacante santista. Raimundinho tocou para Pelé, que dominou entre os zagueiros e bateu por baixo de Zaluar.

Ele ficou tão emocionado com aquele momento que queria abraçar todo mundo – lembrou à época Raimundinho, considerado o autor do passe decisivo.

Face e corpo de menino, 
Pelé tinha 15 anos quando marcou o primeiro gol pelo Santos FC.
(Foto: Reprodução / twitter)


A terceira versão para o gol de Pelé foi do goleiro Zaluar, na foto abaixo. 
E até ele entrou no segundo tempo, no lugar de Antoninho, que já não era o titular. Falecido em 1995, contou para o site Paixão Canarinha, em 1972, que Pelé recebera passe de Jair Rosa Pinto, famoso craque dos anos 1940 e 1950, ex-Vasco, Flamengo e Palmeiras, e não de Raimundinho. O goleiro afirmou ainda ter gritado para o zagueiro Mário, mas Pelé foi mais rápido, aplicou um chapéu em um dos marcadores e, cara a cara, tocou entre suas pernas.

Eu tinha condições de defender aquela bola. Quando o Jair lançou o rapaz, gritei para fazerem a cobertura. Poderia ter entrado duro mas não tive coragem quando vi as canelas finas do menino. Pelé balançou o corpo para a direita, para a esquerda… Quando percebi, já tinha tocado a bola no meio de minhas pernas – afirmou para o site Paixão Canarinha.

O lance abriu o caminho para a trajetória do Rei e tornou Zaluar conhecido. Depois que encerrou a carreira, ele se tornou fiscal de vendas da Prefeitura de Santo André. E se apresentava com um cartão profissional em que se intitulava o primeiro goleiro a sofrer gol de Pelé. A vibração com o feito o levou a fazer uma camisa com as inscrições “Goleiro Rei Pelé 0001” que usava no time de veteranos do Aramaçan. 

E o grito de independência do primeiro gol de Pelé, ecoando em três versões, chega à sua terceira idade.



Ficha do jogo:

Corinthians de Santo André 1 x 7 Santos
Data: 7 de setembro de 1956
Local: Estádio Américo Guazelli (Santo André-SP)
Juiz: Abílio Ramos
Corinthians F. C. de Santo André: Antoninho (Zaluar), Bugre (Mario) e Chicão (Dati); Mendes, Zito e Tonico; Vilmar, Cica e Teleco (Odilio); Rubens e Doré.
Técnico: Jaú.
Santos: Manga, Hélvio e Ivan (Cássio); Ramiro (Fioti), Urubatão e
Zito (Feijó); Alfredinho, Alvaro (Raimundinho) e Del Vecchio (Pelé);
Jair e Tite.
Técnico: Lula.
Gols: Alfredinho aos 28, Álvaro aos 30, Del Vecchio aos 34 e Alfredinho
aos 41 do 1º T, Del Vecchio aos 15, Pelé aos 36, Wilmar (Corinthians)
aos 41 e Jair aos 44 do 2º T.

Template - Dicas para Blogs